30.04.2018

Minha primeira vez em um show fora do Brasil!

Europa, Viagens

Não que tenha sido a minha primeira experiência de fato, afinal na primeira vez em Londres em 2011 cai de paraquedas em um dos eventos de verão organizados pela BBC Radio 2 enquanto andava pelo Hyde Park, fiquei tão impressionada por não ter nossas famosas “barraquinhas” de bebidas e comidas e de queixo caído como os londrinos chegavam com suas cadeirinhas e sacolas de mercado para curtir o show degustando, um bom vinho e fazendo aquele picnic. Devo admitir que foi meu primeiro porre sem sentir e só fui para o hotel de noite porque esfriou pra caramba pelo menos para mim, crianças de bermudinhas com as bochechas rosadas foi um tapa na cara, mas isso é outra história.

Quando eu descobri…

Era dia e já tava 8 graus… parte boa, o vinho descia delicia!

 

Bem, mas voltando ao tema do post gosto de sempre colocar coisas para incrementar minhas viagens, não raramente escolho o dia da padroeira, festa da cidade ou melhor período para visitar os lugares. Acredite sempre tem algo a mais para aproveitar e não raramente “free”.

A vontade de ir em um show fora veio por causa daqueles artistas que raramente vem no Brasil, em uma das resenhas de fim de semana com uma playlist rock o assunto foi a banda AC/DC e qual não foi minha surpresa quando vi que nossa ida a Europa em 2015 coincidia com a turnê deles. Pronto era o que faltava para o algo a mais. Um show de uma das bandas de rock preferida do meu preto, em um estádio que ainda não tínhamos ido. Ganhei ponto para caramba!

Bem e a partir desse prelúdio digno de livros, descrevo abaixo essa experiência digna de nota!

Primeira coisa que pensei foi preciso garantir os tickets ainda no Brasil, sim afinal meu espanhol não é um dos melhores e não queria ter surpresa de ingressos esgotados e nem sabia se existia a categoria “cambistas”. Resolvi pesquisar na internet e escolhi o site viagogo para compra. Como tudo que faço pesquisei bastante os sites de reclamação e meti a cara.

O show saiu a 199 euros para ficar na arquibancada mais 30 euros de taxas e voilá recebi os ingressos por e-mail para apresentar lá na entrada com identidade.

Antes que falem do valor, já diz o ditado que “Quem converte, não se diverti”. Dificilmente vamos para um show aqui no Brasil por menos de R$ 300 reais, se for internacional os valores dobram e até triplicam dependendo do setor. Então vai por mim, se joga e seja feliz!

O show que escolhemos foi em Madrid no estádio do Atlético de Madrid o Vicente Calderon, a escolha se deu principalmente por já termos ido em Madrid e por ter certeza que chegaríamos por metrô e o Hotel que gostamos ficar relativamente perto do local.

Um dia antes do show, depois de ter feito o roteiro do dia fomos lá para fazer reconhecimento da área, precavidos que somos. Aproveitamos e compramos a camiseta do show porque se não for para ir padronizado, nem vamos.

No dia saímos 2 horas antes do show começar e apesar de querer muito não fiz um after devido a tensão de um primeiro show fora.

No metrô bem estilo rocker! SQN!

 

Qual foi minha surpresa ao perceber a quantidade de conveniências próximas ao local lotada de pessoas bebendo, conversando e fazendo aquela prévia. Apesar de não ter barraquinhas, a área externa ao estádio estava entupida de gente bebericando suas bebidas.

No clima do after…

 

Socialização, paquera e cervejas de mercado na sacola…

Com a abertura dos portões, lá fomos procurar nossos lugares, sim nossos lugares eram marcados e sinceramente adorei a ideia de poder ir e vir sem me preocupar com o lugar.

Até estar dentro, não é real!

Conferindo o Calderón!

Começando a ficar no brilho!

Lá dentro as bebidas são servidas por meninas gatas com um tonel nas costas, ou se você preferir pode ir para as estruturas montadas com bebidas e comidas dentro do estádio.

Vamos preservar a identidade…

 

O show foi maravilhoso, os caras são sensacionais. A saída do show foi tão ordenada que até silêncio fazia, como a grande maioria das pessoas escolheram ir de metrô, acabamos indo a pé, nosso hotel o Mediodia fica a 2 km do local.

No retorno conversamos com alguns brasileiros, americanos e parisienses e acabamos no Mac Donalds próximo ao hotel para aquela reposição de energia.

Foi fácil, lindo e inesquecível!

Minha próxima meta é um festival… espero ter encorajado vocês!

 

 

beijos, Kátia Michelle
Escreva o seu comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Topo